A recente explosão no número de iniciativas  locais comunitárias que vivem e trabalham com fim à sustentabilidade e ação climática (mitigação e adaptação às alterações climáticas) levou à criação de uma nova rede europeia, ECOLISE (designação original “European COmmunity-Led Initiatives towards a Sustainable Europe).  Esta rede visa apoiar o intercâmbio e a cooperação entre as diferentes iniciativas e a colaboração com outras instituições (ONGs e Instituições de ensino superior e investigação) de forma a promover o surgimento saudável de novas iniciativas comunitárias em todo o espaço Europeu.

Um estudo realizado pela Associação Europeia de Informação sobre o Desenvolvimento Local (AEIDL) em 2013 identificou mais de 2.000 iniciativas de comunidades ativas na “luta” contra as alterações climáticas e promovendo sustentabilidade na Europa. Várias fontes indicam que este número está a crescer muito rapidamente.

“Este é um grande avanço”, diz Eamon O’Hara, o coordenador do estudo e co-fundador da rede ECOLISE. “É claro que há muitas pessoas que têm um desejo real de participar das grandes questões mundiais e que optam por tomar medidas e ações concretas ao nível local. Esta é uma parte muito importante de uma resposta eficaz às mudanças climáticas e com o objetivo de criar uma sociedade mais sustentável e resiliente. Políticas discutidas e implementadas pelos organismos de nível nacional e internacional não funcionam sem o compromisso local e é por isso que é tão importante apoiar estas iniciativas.”

A rede ECOLISE reúne parceiros de toda a Europa, incluindo a Rede de Transição e “HUBs” nacionais de Transição em toda a Europa, a Rede Global de Ecovilas da Europa (GEN-Europe), a rede de Permacultura do Reino Unido, Gaia Education, ICLEI (rede de Municipios para a ação climática), a Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa, entre outros. No total, existem atualmente cerca de 24 membros, incluindo várias iniciativas comunitárias bem como várias instituições especializadas e experientes na formação, pesquisa e advocacia.

” A missão da ECOLISE é ser uma plataforma para a aprendizagem, a ação e a promoção de iniciativas comunitárias em matéria de alterações climáticas e enraizar a sustentabilidade em toda a Europa”, diz Eamon, actual presidente desta rede de redes.

“Esta missão tem três componentes principais. Em primeiro lugar, queremos entender melhor qual a situação actual, para entender o que funciona e o que não funciona, e compartilhar este conhecimento através da rede. Em segundo lugar, queremos apoiar o trabalho que está em andamento pelas iniciativas comunitárias existentes, através da partilha de ferramentas e experiência assim como, por exemplo, apoiar a criação de uma plataforma web multilingue (escala Europeia). Em terceiro lugar, queremos aumentar a visibilidade, nas instituições regionais, nacionais e europeias, da ação comunitária sobre as alterações climáticas e sustentabilidade na Europa e incentivar uma maior partilha das ideias e experiências que emergem da rede, provenientes do conhecimento empírico”.

Promover o intercâmbio de ideias e experiências é uma parte fundamental do trabalho atual da ECOLISE e tem sido o principal motivo de criação da rede.

“Todos nós sabemos da necessidade de uma ação urgente para contrabalançar as alterações climáticas presentes (e futuras) assim como a falta de processos e produtos sustentáveis na sociedade em que vivemos. Tempo é um fator chave na redução das emissões de carbono e para travar a perda de biodiversidade assim como para proteger e mesmo regenerar dos vários recursos finitos deste planeta. É por isso que querem ajudar e incentivar as iniciativas comunitárias a se criarem, crescerem e desenvolverem permitindo-as desenhar estratégias e implementar medidas necessárias, envolvendo o maior número de atores influenciados (beneficiados ou prejudicados) pelas mesmas. Queremos promover um ambiente político mais favorável para encorajar os decisores políticos, especialmente a nível da UE e nacional, a seguir políticas e programas que apoiem a ação comunitária local. Sabemos que há políticos e outros líderes que apoiam estes objectivos e esforços, e sabemos que temos de ser mais estruturados e determinados a fim de alcançar o compromisso de uma mudança real.”

Com o apoio adequado dos governos, e de uma plataforma europeia para facilitar o intercâmbio de ideias e experiências, os membros da ECOLISE acreditam que as iniciativas comunitárias focadas na ação climática e sustentabilidade podem contribuir de forma muito significativa para a transição e transformação societal que é necessária ocorrer nos dias de hoje.

“Os governos ou as comunidades não podem fazer isto sozinhos”, Eamon argumenta. “Temos que trabalhar juntos, reconhecendo a importante contribuição que cada nível e sector societal tem que fazer. A ECOLISE é uma tentativa de preencher esta lacuna e criar uma abordagem conjunta que tem faltado até agora.”

Contato: Eamon O’Hara: eamon.ohara (at) aeidl.eu

Artigo adaptado por Gil Penha-Lopes, membro da Fundação da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (FFCUL), de um artigo elaborado May East, membro do Gaia Education (GE é uma das 1.300 ONG associada ao Departamento de Informação Pública das Nações Unidas, que se espalha a educação para a sustentabilidade em todo o mundo). A FFCUL e a GE são membros fundadores da ECOLISE.