Transcrevemos o texto recebido da plataforma “Não ao TTIP”. Este é um apelo que deve ser escutado e avaliado por cada um de nós.

“Olá! Somos cidadãos e associações da sociedade civil, que partilhamos uma profunda preocupação sobre as ameaças ao planeta e às pessoas causadas pela ratificação da Parceria Transatlântica de comércio e investimento, conhecida como TTIP.

É um acordo de livre comércio e investimento entre a União Europeia e os Estados Unidos, que tem como objectivo igualar em baixa as legislações vigentes. O que nos preocupa neste acordo é sobretudo:
– a perca de normas de protecção ambiental, com especial destaque para a extracção de gás de xisto (Fracking)
– a disseminação pela Europa de produtos alimentares transgénicos sem rotulagem
– a falta de transparência nas negociações
– e um mecanismo de nome ISDS, que permite às multinacionais processarem os estados por lucros futuros não obtidos, julgados num tribunal arbitral, sem direito a recurso.

Neste momento, mais de 450 ONG’s e plataformas de ONG’s europeias estão a recolher assinaturas para exigir o fim destas negociações secretas. A Iniciativa Europeia de Cidadãos já conta com mais de 2.500.000 de assinaturas, porém em Portugal ainda nos faltam cerca de 6.000 assinaturas, para atingirmos a quota de assinaturas que Portugal
precisa. (https://stop-ttip.org/)

Acreditamos que a vossa organização partilha dos mesmos valores de respeito pelo planeta e como tal, através deste mail queremos que :
– tomem conhecimento deste tema
– nos ajudem a espalhar a mensagem, no fundo fazermos o papel da comunicação social, que “decidiu” ignorar este tema
– mediante os vossos meios, possam organizar debates ou iniciativas de sensibilização sobre o tema. Para tal, podem contar com a nossa
colaboração, mediante o que nos for possível, pois estamos nesta causa em regime de voluntariado.

Poderão saber mais sobre o tratado aqui : https://www.nao-ao-ttip.pt/

Apesar da vossa associação/organização não ter um carácter político, nós acreditamos que tudo é político e quando o tema ameaça ainda mais o planeta, temos mesmo que agir e cooperar!”