logo Porto Cidade transição
logo 50 anos data

Biografias facilitadores e apresentadores das oficinas “Porto, Cidade em Transição”

Andreia_Ruela_400x400Andreia Ruela

Sou de Aveiro, cidade onde nasci e trabalho no desenvolvimento de projectos de inovação e inclusão social. Em 2011, tive oportunidade de conhecer um conjunto de pessoas fortemente motivadas no desenvolvimento da sua comunidade, tornando-a mais feliz e resiliente, com o contributo genuíno e essencial de cada pessoa. Desta energia surgiu o grupo Aveiro em Transição do qual faço parte. A sinergia gerada neste processo, alimentada também pela estreita articulação que estabelecemos com outros grupos da comunidade e iniciativas de Transição, fez-me mergulhar numa experiência única de aprendizagem individual e colectiva. Para além da acção local, colaboro no desenvolvimento do programa “Um Ano em Transição”, com o objectivo de inspirar um ecossistema acolhedor à mudança e às iniciativas locais que crepitam nos seus territórios.

 

Annelieke_van_der_Sluijs_400x400Annelieke van der Sluijs

Em 2005 imigrei para Portugal, vinda da Holanda. Durante os primeiros anos, vivi numa área rural onde criei uma forte ligação com a terra e daí nasceu a minha atracção pela permacultura, a Transição e a vivência comunitária. Em 2010 mudei para Coimbra. Sou membro fundador da Coimbra em Transição, representante da Transição Portugal na rede internacional dos “hubs” nacionais do Movimento de Transição e co-criadora do Awakened Life Project. Neste momento estou a trabalhar com grande prazer no desenvolvimento do programa “Um Ano em Transição, em que o desenvolvimento pessoal e comunitário são fortemente interligados. Creio que é um elemento chave para uma vida melhor, mais flexível e sintonizada, que nos oferece oportunidades mais favoráveis para enfrentar as mudanças que nos vão chegando num futuro desconhecido.

 

Antonia_Silvestre_156x156Antónia Silvestre

Desde que me lembro de mim como pessoa recordo como me sinto ligada à comunidade e o quanto sou sensível às suas inquietudes. Cedo percebi que teria que estar ligada à área social na minha vida profissional, o que faço desde 1996. Actualmente trabalho na CooLabora – Cooperativa de Intervenção Social, onde tenho o privilégio de me envolver em processos participativos comunitários, nomeadamente numa experiência muito enriquecedora que é o Troca a Tod@s. Enquanto observadora do que me rodeia e como cidadã inquieta que sou integrei o Grupo Covilhã em Transição, na esperança de que me poderia tornar numa pessoa mais resiliente e também contaminar outros olhares e formas de pensar. Nascida numa aldeia de Amarante, a viver na Covilhã há vinte anos, mãe orgulhosa de 2 filhas e 1 filho, acreditar é o meu lema e aquilo em que acredito é que todos podemos contribuir para que o lugar onde vivemos seja um local melhor, mais justo, mais solidário, mais sustentável e feliz.

 

Clara_Nogueira_400x400Clara Nogueira

Sou colaboradora da Associação Viver Telheiras, sucessora da Iniciativa de Transição em Telheiras. Formada em comunicação, é nessa área que o meu trabalho incide prioritariamente. Cresci no norte do país, numa comunidade marcada por laços comunitários fortes e coesos. Desde cedo envolvida em projectos de voluntariado, acredito que é aqui, na rua, no bairro que se muda o mundo.

 

Cristiano_Bottone_400x400Cristiano Bottone

Descobri o Movimento de Transição em 2008, enquanto Direitor Criativo da minha agência de publicidade. Sou membro fundador da Monteveglio Ctittà di Transizione, a primeira iniciativa de Tranição na Itália, e da Transition Italia, o hub nacional, de que sou presidente. vivo em Monteveglio com a minha esposa, dois filhos dois cães e um número variavel de gatos. Tenho feito a minha profissão da Transição como formador, facilitador, activista e investigador. Grande parte do meu trabalho é colaborar com autarquias e juntas de freguesia e apoiar as iniciativas locais de Transição. Cada vez mais, estou a trabalhar no desenvolvimento de processos de Transição para empresas. Ainda não sei se a Transição pode salvar o mundo. Entretanto, dá muito prazer fazê-la.

 

David_Avelar_400x400David Avelar

Sou natural de Lisboa embora tenho vivido em Moçambique na minha juventude e nas Canárias onde fiz o meu curso de Permacultura e vivência em comunidade. Sou biólogo de formação e trabalho num grupo de investigação em Alterações Climáticas (CCIAM) tenho como principal interesse perceber e facilitar como podemos tornar os nossos territórios mais sustentáveis e, sobretudo, resilientes, trabalhando com a natureza. Membro fundador da Transição Universitária da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa (TU-FCUL), sou hoje guardião do projecto de Permacultura HortaFCUL e moderador do projecto Rede CONVERGIR.

 

Filipa_Almeida_296x296Filipa Almeida

Engenheira do ambiente de mente sã em corpo são! Trabalho desde 2009 em consultoria ambiental e paralelamente fui “trabalhando” um pedaço de terra. Desde o final do curso que me interesso pela agricultura e por um modo de vida que se diz mais resiliente e sintonizado com os ciclos naturais. Sou presidente da Associação Moving Cause, desde 2013, onde tenho aprendido a mobilizar utopias concretas, ultimamente, a concretização da AMEP – Associação pela manutenção da economia de proximidade.

 

Filipa_Pimentel_400x400Filipa Pimentel

Sou membro fundador da Portalegre em Transição e mãe de duas raparigas. Vivo em Bruxelas desde o ano 2000 mas mantenho as minhas raízes bem vivas e profundas em Portugal. Há 13 anos que trabalho a nível Europeu, sobretudo como conselheira política na área de sustentabilidade, passando por várias Instituições Europeias e noutras organizações não-governamentais. Neste momento, sou um dos membros da equipa central da Transition Network, responsável pela coordenação internacional dos “hubs” nacionais do Movimento de Transição. A Economia da Dádiva é uma área que me inspira profundamente.

 

Jose_Pedro_Pinto_400x400José Pedro Pinto

Sou membro ativo da Ecosol. Vivo no Porto, onde estudei e trabalho na área audiovisual. Tenho vindo a participar em diversas iniciativas que visam a sensibilização e o desenvolvimento da comunidade local, bem como a proteção do meio ambiente. Fui membro ativo e presidente do Núcleo do Porto da Quercus e fiz voluntariado na Greenpeace e na Amnistia Internacional.

 

Jose_Soutelinho_187x187José Soutelinho

“Sou um explorador da Vida! A minha vida é um hino à descoberta….promovendo o estudo, investigação, análise, reflexão e debate de ancestrais e contemporâneas realidades humanas, de cariz espiritual, ideológico, comportamental, cultural e social; numa perspectiva interdependente, unificante, inclusiva e integral; num espírito de coerência e comunhão aos padrões da Natureza, propondo meios, saberes e referenciais alternativos, que se constituam como bases para mudanças significativas no fazer, ser e saberes humanos, em qualquer escala e em qualquer lugar. Com o conhecimento e sabedoria que este caminho de descoberta me traz, tenho a prática de apoiar a transição dos outros, de os desafiar e capacitar, do actual modo de ser, para um novo modo de ser – plenos, autênticos e empoderados – numa moldura chamada “despertutor”

 

Luis_Bello_Moraes_400x400Luís Bello Moraes

Sou membro fundador da Portalegre em Transição, iniciativa inserida na Transition Network. Vivo em Portalegre e estou particularmente interessado nas novas propostas para o desenvolvimento económico local – como as formas não monetárias e à escala humana – sendo esta vertente a que neste momento mais me inspira. 
Empresário na área das tecnologias de informação com formação em programação e sistemas telemáticos, cresci no meio rural e desde cedo desenvolvi um forte contacto com a terra. Hoje é na minha pequena horta que me sinto verdadeiramente em casa, onde cultivo e cuido com a ajuda dos meus dois filhos, um rapaz de nove anos e uma rapariga de quatro.

 

Luis_Pereira_400x400Luís Pereira

Sou membro fundador da Iniciativa de Transição em Telheiras e da sua sucessora, a Associação Viver Telheiras. Telheirense desde tenra idade, após a formação académica na área da Psicologia Comunitária senti que era no meu bairro que me fazia sentido iniciar o meu trabalho de intervenção comunitária, depois de vários anos de voluntariado. Sou desde 2013 um dos facilitadores da rede local de entidades, a Parceria Local de Telheiras. Para mim, uma comunidade e redes interpessoais e interinstitucionais fortes são fundamentais para “transitar” e é na dinamização dessas redes que tenho focado as minhas energias. Em Lisboa não dispenso a minha bicicleta, que me leva diariamente a todos os sítios onde tenho de ir.

 

Luís Tiago

Sou um biscateiro global, há cinco anos que investigo a criatividade como fenómeno de emancipação social e empoderamento económico, no seio dos movimentos sociais, ativistas e radicais, da privacidade individual à liberdade coletiva, da economia social, solidaria e alternativa, fenómenos artístico-culturais emergentes e praticas éticas, sendo o resultado um documentário open-source sob licença da creative commons e que irá sair no final de 2015, com o titulo RE-SEND, a criatividade como indutor à criação de alternativas reais.

Fundador o projecto SEDE – Núcleo de Proto-Participação e Ativação Social Cultural, que reúne um conjunto de projectos, ligados à Permacultura Urbana, Cultura livre, Ativismo, Economia Solidária, Hacktivismo, Memória e Identidade, entre outros,  sou coordenador do Fórum Financas Éticas e membro da Rede European Alternatives, do Colectivo Art Without a Cause, Colectivo Galiza Imaxinaria, Ecosol , Fair.Coop.

 

Monica_Barbosa_120x120Mónica Barbosa

Natural de Lisboa, iniciei-me profissionalmente como psicóloga clínica e coordenadora de serviço em prisões; trabalhei e coordenei um Centro de Reconhecimento Validação e Certificação de Competências. Trabalhei durante 8 anos no Serviço de Psicologia do antigo Hospital Júlio de Matos. Em 2012 troquei a função pública e a vida na capital pela colaboração com o Centro de Convergência, um projecto de desenvolvimento local de cariz ecológico e social, na Aldeia das Amoreiras – Alentejo. No verão mudei para Chão Sobral, na Serra do Açor e vivo da horticultura e da pecuária, num sistema familiar alargado, em simplicidade voluntária e para “o pão nosso de cada dia”. Procuro reduzir a minha pegada ecológica nos gestos do dia a dia e a dependência do sistema financeiro.

 

Patricia_Paixao_400x400Patrícia Paixão

Tenho formação em Comunicação e Estudos Culturais. Tenho participado e colaborado em projectos ligados à intervenção artística e à capacitação social, tanto em Portugal como no estrangeiro. Neste momento estou a desenvolver um projecto que pretende dinamizar a minha comunidade em Setúbal pelas artes. A colaboração e trabalho com a Iniciativa Covilhã em Transição despertaram-me o interesse em Transição e Permacultura tendo participado em formações mais recentemente nessas mesmas áreas.

 

Rosa_Maria_Carreira_108x108Rosa Maria Carreira

Quando estudava Antropologia não era minha intenção aplicar esses conhecimentos noutros povos e noutras terras. Vi sim, nesta aprendizagem, a oportunidade de ganhar um olhar especial sobre a realidade que me rodeia. Uma das formas que encontrei de me tornar uma cidadã mais activa e uma profissional mais realizada foi juntar-me a um grupo de mulheres que partilham os meus ideais e criar a CooLabora, uma cooperativa de intervenção social.

A protecção dos animais é também uma das minhas lutas e por isso juntei-me a outro grupo de pessoas e tornei-me activista da Instinto.

 

Sara Moreira

Apesar de ter estudado engenharia informática, foi na “informAÇÃO” que encontrei o meu caminho para a transição. Tenho trabalhado como jornalista em projectos internacionais como o Global Voices Online, uma plataforma internacional de “citizen media” que reporta sobre questões relacionadas com direitos humanos e liberdade de expressão. Fundei a Moving Cause em 2009, uma associação sem fins lucrativos dedicada à mobilização de utopias concretas. Tal é o caso da AMEP – Associação pela Manutenção da Economia de Proximidade: uma rede de “prossumidores” onde se transaciona alimentos em moeda social. Participo activamente na rede Ecosol Porto e em vários outros projetos associativos e cooperativos do Porto e do Mundo, tendo passado por países como Timor-Leste, Moçambique e São Tomé e Príncipe.

 

Sara_Rocha_400x400Sara Rocha

O meu maior desejo é mergulhar numa máquina de escrever e contar as histórias dos outros, que são as minhas. Nascida e criada em terras do Douro, resido hoje em Coimbra, onde me graduou em Serviço Social e trabalho em projectos de investigação nas áreas da exclusão social, inovação e economia solidária. Por motivos que desconheço, tive oportunidade de conhecer pessoas e lugares, em Portugal e no mundo, que me inspiraram a abrir os olhos e ver que é possível viver bem e feliz, com outros. Tornou-me então membro fundadora da iniciativa Coimbra em Transição onde estou a aprender sobre processos de experimentação social e cultural como forma de construir lugares mais vibrantes, resilientes, prósperos e inclusivos. Sou uma activista da arte de bem-viver. Ando a interessar-me cada vez mais pela ecologia profunda.

porto_cidade1